Mito N2 "A melhor forma de aprender uma língua estrangeira é falando"

From Antimoon Translation Project

Jump to: navigation, search

Esse provavelmente é o conselho mais repetido para estudantes de idiomas. Você vai ouvir isso de professores, webmaster de sites de ESL, e pessoas no Fórum Antimoon (por exemplo, veja o que Jeff Hook falou. [1]

Para a maioria dos professores de idiomas, a meta é ver você falando o máximo possível e o mais cedo possível. Eles acreditam que devem ficar quietos durante suas aulas, enquanto seus estudantes devem ter a oportunidade de falar.

Fato: Falar é imitação. Quando você fala a sua língua nativa, você não inventa sua própria gramática, seu próprio vocabulário e sua própria forma de falar. Você usa a mesma gramática, o mesmo vocabulário e o mesma forma de falar que pessoas ao redor de você.

Similarmente, quando tentar falar uma língua estrangeira, sua meta é imitar a gramática, o vocabulário e a forma de falar dos falantes nativos, então seu jeito de falar é correto e natural.

Isso é muito óbvio, para falar com falantes nativos, você precisa ouvir as coisas que eles falam e ler as coisas que eles escrevem. Quando você faz isso, você aprende novas palavras e estruturas de gramática que você pode usar para expressar seus pensamentos. Como um resultado, fica mais e mais fácil para você construir suas próprias frases na língua estrangeira.

Por outro lado, se você seguir o conselho popular e concentrar em falar em vez de escutar e ler, você vai aprender poucas palavras e estruturas e, como muitos estudantes, vai ficar "preso" com seu vocabulário e gramática limitados. Sempre vai ser difícil para você se expressar seus pensamentos na língua estrangeira.


edit Benefícios de falar

Enquanto praticar falando não desenvolve seu vocabulário e sua gramática, oferece alguns benefícios importantes:



Ajuda você a melhorar sua fluência (melhora o seu conhecimento de gramática, vocabulário e pronúncia de sua "memória lenta" para sua "memória rápida" - porém, primeiro você deve colocar algo em sua "memória lenta" através de input)


Comunicar-se em uma língua estrangeira é muito excitante e lhe motiva para continuar aprendendo


Ajuda a expor "intervalos" em seu vocabulário e gramática (mostra o que você não sabe e o encoraja de procurar)



edit O que você deve fazer

Se você não sabe como começar uma frase, mesmo depois de pensar um pouco; Se você para no meio de uma frase e não pode continuar porque você não conhece uma palavra; Se você pronuncia palavras de um jeito estranho porque não sabe como dizer alguma coisa de maneira natural; Se você comete muitos erros e não está ciente deles... ...você precisa de mais input [2], não mais prática falando. Esses problemas mostram que você simplesmente não sabe como dizer certas coisas no idioma, e você deve observar como os falantes nativos a pronunciam. Mais prática falando não vai melhorar seu vocabulário e sua gramática; na verdade, ela pode fazer as coisas ficarem piores. [3]

A partir do começo, você deve gastar todo o seu tempo em ler e ouvir (adquirindo o vocabulário e gramática necessários) até que você possa frases simples - mas 100% corretas [4] no idioma. Por exemplo, você pode começar escrevendo um e-mail para alguém que fala o idioma. (Não importa quanto demora para você escrever a mensagem. Pode ser duas horas, se você tiver muita paciência.)

Ao mesmo tempo, você deve estudar a fonética do idioma, praticar pronunciando os sons, e aprender a pronúncia das palavras.

Então, você deve continuar conseguindo input e escrevendo até que você possa produzir frases simples e corretas sem consultar o dicionário ou a web. Desde então você pode começar a falar - de novo, lentamente e com cuidado. Porém, você ainda deve gastar muito tempo lendo e ouvindo, porque input é a única maneira de desenvolver seu vocabulário e sua gramática.


edit O que acontece em classes

Infelizmente, a importância de input foi grandemente subestimada nos últimos anos. O ensino do monopólio de Abordagem Comunicativa do Inglês significa que os professores querem que os estudantes falem em classe e escrevam composições desde a primeira lição, mesmo que quase não tenham chance de absorver a gramática e o vocabulário do inglês. Um professor típico procura output de seus estudantes, mas não faz nada para garantir que eles tenham input o suficiente. Algumas horas de aula de inglês todas as semanas, onde o professor procura falar o mínimo possível (para dar aos estudantes a oportunidade de falar), não são suficientes.